Essa foto é uma homenagem à minha avó Josina, que faleceu no início da pandemia do COVID no mundo. Ela, que nunca parou quieta, não suportaria mesmo essa quarentena.

Professora, mãe (ela sempre me disse que vó era mãe duas vezes), disse adeus à sua cidade natal no norte do Estado do Rio, junto com um grupo de professoras e foi viver em Paraty, onde dedicou a vida a ensinar. Muito mais do que o ABC e tabuada, a missão dela era ensinar o amor. Fazer o bem, ser o bem.

E a missão dela não acaba por aqui. A missão dela está enraizada em mim e é nesse mundo que eu quero viver.

Onde as pessoas sejam amor. E saibam valorizar o hoje, a vida. Que a gente escute a bandinha da vida tocar e corra pra ir lá dançar. “

 

 


Isabella Jannotti, 26 anos. Editora. Neta da Jujú. @bellajannotti